Trabalhador leva ao menos 82 anos para entrar no grupo de pessoas mais ricas do planeta

Segundo pesquisa, 1% da população tem mais de R$ 2,1 milhões em patrimônio

ricosUm trabalhador comum pode levar a vida inteira juntando dinheiro e mesmo assim não conseguir entrar na parcela das pessoas mais ricas do planeta. Para fazer parte do endinheirado grupo, é preciso juntar o equivalente a R$ 2,1 milhões, segundo estudo da organização não governamental britânica Oxfam. Apenas 1% da população mundial já atingiu essa faixa.

Considerando uma pessoa que consiga poupar R$ 500 todo mês, ela pode demorar, ao menos, 51 anos para chegar ao valor necessário. “Isso em uma hipótese bastante otimista, um investimento que tenha 5% de aumento real”, explica o economista José Dutra Sobrinho. “Se o rendimento for a metade disso, que é algo mais realista, a pessoa vai demorar 82 anos para juntar todo o dinheiro”, completa.

O professor de matemática financeira destaca um detalhe que pode dificultar ainda mais os aspirantes a milionários: a inflação. Segundo ele, se o índice for igual a 6% ao ano, por exemplo, o valor investido terá de ser corrigido. “No primeiro ano, ele guarda R$ 500 por mês. No segundo, R$ 530. E assim por diante”, calcula.

Sacrifício

Mas essa não é a única forma de se chegar aos R$ 2,1 milhões no bolso. O professor da Faculdade de Economia da USP Luiz Jurandir Simões diz que a meta pode ser bem mais factível, mas depende de muito esforço. “Exige mudança de postura. A pessoa precisa ter paciência, entender que cada coisa tem sua hora e não dá para ter tudo o que se quer”, avisa o consultor financeiro. “Aumentar o capital não é algo rápido”, ressalta.

Por que a desigualdade extrema prejudica os ricos?

Segundo ele, a entrada no grupo dos milionários pode acontecer em 20 anos. E — prepare-se para o espanto — não depende apenas de guardar dinheiro. Muitas vezes será preciso gastar. “Você tem a chance de fazer uma pós-graduação em Nova York, a oportunidade de fazer um estágio em uma empresa legal no exterior… Você pode gastar todo seu dinheiro nisso, mas está ganhando um valor agregado em longo prazo”, justifica.

O professor chama isso de visão estratégica. “Você pode gastar. O que não pode é gastar em coisas que não agregam em nada. Viajar é importante. Se divertir é importante. Areja a mente. Mas não pode ser só isso”, diz Simões. “Se você se qualifica, aumenta sua capacidade de ganhar renda”, completa.

Fonte: R7